Make your own free website on Tripod.com
Matérias de revista e jornal

O Dia (Novembro/99)

Musa da canção do Los Hermanos e suas xarás sofrem com brincadeiras por causa do nome

     Alex se apaixonou por Anna Júlia e demorou seis longos meses para declarar seu amor. O casal ficou junto um único dia, mas a história acabou virando o hit Anna Júlia, pelos acordes da banda de rock Los Hermanos. O produtor do grupo, Alex Werner, viu sua paixão virar música graças ao vocalista Marcelo Camelo, e com o estouro da canção nas rádios a Anna Júlia inspiradora já experimenta o gosto de uma fama inesperada, assim como suas xarás. Por onde passam, as Anas Júlias ouvem o refrão “Oh, Anna Júlia”, e a original já distribuiu até autógrafos.

     Isso tudo é muito engraçado, já tirei até foto na rua com uma pessoa que soube que eu inspirei a música. É meio surreal, mas estou curtindo”, diz Anna Júlia Werneck, 20 anos, que sempre soube ser alvo da paixão de Alex, 21, seu colega da faculdade de jornalismo. “O problema é que ele era muito tímido, não chegava. Aí o Camelo fez a música, me chamou pro show, fiquei envergonhada, e um tempo depois o Alex resolveu se declarar. Foi quando ficamos”, lembra a moça.

     O casal ficou junto uma só vez. Eu sabia que ele estava a fim, mas que não tinha coragem de falar. Hoje somos amigos”, conta a moça. Há dois meses, o rapaz está namorando Bárbara Agnete, 19. “Vivi um amor platônico que passou nem sei como. Sofria pra caramba“, diz Alex.

     A música, recheada de frases que remetem à dor do amor, é ouvida pelas Anas Júlias que nada têm a ver com o romance malsucedido. “É uma música bonita. O problema é que todo o mundo na escola fica cantando pra mim”, reclama a menina Ana Júlia Thomé, 11 anos.

     Já a orientadora educacional Ana Júlia Mello, 38, conheceu a canção do Los Hermanos pelos filhos, Arthur, 17, e Ricardo, 18. “Achei uma graça. Os alunos da escola em que trabalho já vieram cantá-la pra mim várias vezes”, conta a orientadora. Moradora de Uberlândia, Ana Júlia Crosara, de 11 anos, já cansou de ouvir as pessoas lhe dizendo que há uma música com seu nome, mas nunca a ouviu. “Agora é esperar o disco chegar por aqui pra eu poder ouvir. Pelo menos, sei que tenho uma xará”, resigna-se.